09 dezembro 2011

Pensamento


Acima dos sonhos
Acima do céu, das nuvens, das estrelas
Acima de tudo, acima da verdade
Acima de todos que contrariam
E fazem da perjúria sua oração
E invadem com um sorriso amarelo
O coração que pulsa inocente
Acima da vontade que vibra
E da temperança que vive
Acima das vinganças e contrariedades
Acima da inveja insolente
E da falta de conhecimento humano
Acima da promiscuidade obscena
E das criações dirigidas
E à volta com o desejo por algo simples
Por algo que construa, que enobreça
Persiste-se aos tropeções, cheios de erros
Mas com sentido de justiça plena
Porque esse é papel de homem
Que acredita, se envolve com a plenitude
Que pensa e traduz as entrelinhas da alma
Sem subterfúgios, sem macerações
Aliviando as crises com sensibilidade

E a alma agradece a ajuda
As críticas coerentes
A ajuda certeira
Como deve ser...

Renato Baptista

3 comentários:

TÂNIA SUZART ARTS disse...

Persistir, insistir, seguir sempre o que a consciência nos ensina como justo e verdadeiro.
Creio que assim chegaremos a um denominador comum com nós mesmos e com aqueles que nos cercam.
Feliz Natal, Renato!
Abraços.

JouElam disse...

Olá, querido amigo poeta! Tem um presente de Natal para você no Távola de Estrelas!Desejamos a você votos dum
Natal muito Feliz e de um Ano Novo Maravilhoso!

abraços,

JouElam & Dani

Távola de Estrelas: http://jorgemanueledanieledallavecchia.blogspot.com/2011/12/um-selinho-pra-voce.html

Poemas Tecidos disse...

Lindo poema, Renato. às vezes tudo nos vem tão claro, mas nossos olhos embaçados distorcem a verdade de tudo. Será defeito do coração que afeta os olhos?

Abraços.