12 junho 2010

Vuvuzela, o inferno na terra da Copa do Mundo.

Vuvuzela, o inferno na terra da Copa do Mundo.

Para começar digo que acho inacreditável. É isso mesmo, a Copa do Mundo é uma coisa linda demais em todos os aspectos. O envolvimento, o congraçamento entre nações e seus povos, realmente vemos uma festa sem igual que paralisa o mundo.

Agora... as vuvuzelas. Ah, as vuvuzelas africanas são algo de inacreditável mesmo. Uma coisa que deixa qualquer um maluco e babar, e não pelo evento, pelo desenrolar do jogo, nem pela torcida, nem pelo que acontece em campo, mas pelo inferno estratosférico que aquele ruído proporciona.

Assistir a uma partida da Copa com aquele barulho infernal de fundo é algo desesperador para qualquer ser humano. Parece que estão enfiando o dedo pelo seu olho e buscando o seu cérebro... e o dedo rodando e arrebentando os nervos sem dó e nem piedade.

Aí eu pergunto: - Por que vuvuzela? Para que vuvuzela? Como assim vuvuzela?

Aquilo é algo que deveria ser proibido, banido, expurgado, arremessado para o infinito no silêncio do espaço sideral, pois chega perto de ser o crime do século você ser obrigado a assistir a um jogo ouvindo aquilo. E é algo que não tem intervalo, não para, não cede, não tem limite.

Não sei o que pensam os africanos quando assopram aquilo, sinceramente, aliás, não pensam, porque aquele barulho infernal tira a capacidade de pensar, de refletir, de ter concentração... de tudo. Deve ser por isso que continuam.

Será que eles usam deste artifício como uma “vingança” contra o mundo? Só pode ser.

Imaginem o “mundo” inteiro assistindo a um jogo com aquela coisa desgraçada entrando pelos ouvidos e arruinando a sua capacidade de raciocinar.

E lá no estádio então? Se aqui a coisa é impossível, imagino quem está lá. Os jogadores, eles próprios, enfim...

Alguma coisa tem de vingança porque não é possível alguém gostar de vuvuzela, mas temos que respeitar as culturas, as pessoas, os pensamentos, os povos que gostam de coisas diferentes. E ponha coisa diferente nisso, mas ponha mesmo!

Assisti a cinco jogos dessa Copa, quase inteiros, e parece que o cérebro fica embotado, sacrificado, entorpecido. Faltam sessenta ainda, Será que conseguirei? Será que conseguiremos chegar à final sem ter um ataque de nervos?

Olha, rogo uma praga contra esses torcedores: - Que todas as equipes africanas sejam desclassificadas logo na primeira fase. Mas isso é por castigo mesmo, por “re-vingança” por ter a paciência testada sem necessidade.

Um dia quero passear por lá de madrugada com vuvuzela em punho. Assoprando aquilo sem parar enquanto eles dormem ou tentam se divertir, porque não é possível que eles sobrevivam ouvindo aquilo. Não é possível!!!

Renato Baptista

3 comentários:

Beatriz Prestes disse...

Li ontem esta sua postagem....realmente muito apropriada para o momento!

Bea

Brasil Desnudo disse...

E parece que virou fegre no Brasil Também!
A Propaganda maciça na mídia das tais vuvuzelas atibgiu de cheio a cabeças das pessoas e o mercado em si.

Marcio RJ

Ro Xo disse...

Olá Renato,

Encontrei seu blog no Blog dos blogs, e o achei muito interessante. Parabéns!!! Deixo o link do meu blog para quando sentir no coração de dar uma passada por lá:
http://daessencia.blogspot.com/

À respeito das vuvuzelas, sou completamente a favor de sua opinião. No entanto, esse aparelho movido a sopro, está dominando o mundo ( nessa copa), o que é um absurdo !!! Pois a vuvuzela, além de impossibilitar qualquer tipo de raciocinio, tem altos decibéis (o barulho emitido chega a ser mais alto que uma buzina), e pode causar danos irreversíveis aos ouvidos. Portanto, tome cuidado Renato, e tente ficar o mais longe possível delas, deixe que os tolos que a usam, tenham uma lição com as próprias atitudes.

E parabéns pelo post e pelo blog!!!

Bjs
Mari
http://daessencia.blogspot.com/